News

Junho de 2024 se torna o 12º mês a ultrapassar o limite de aquecimento de 1,5 graus

A marca de 1,5 graus de aquecimento global foi globalmente aceita no acordo de Paris de 2015 (Arquivo)

Enquanto o mundo luta contra as mudanças climáticas e as temperaturas crescentes, uma estatística preocupante veio à tona – o mês passado foi o junho mais quente já registrado na Terra, de acordo com a agência climática da União Europeia. Não apenas isso, junho também se tornou o 12º mês consecutivo a ultrapassar o limite de 1,5 graus Celsius para o aquecimento global.

O último mês foi 0,14 graus mais quente que junho de 2023, disse Serviço de Mudanças Climáticas Copernicus da UE (C3S) relatório. Os números da agência climática da UE destacam que cada mês do ano passado quebrou consistentemente recordes de calor sem precedentes, tornando-o o mês mais quente já registrado no planeta. Embora seja um fenômeno incomum, uma sequência semelhante de recordes mensais de temperatura global aconteceu anteriormente em 2015-2016.

A marca de 1,5 graus de aquecimento global foi aceita internacionalmente na Acordo de Paris de 2015onde os líderes mundiais de mais de 200 nações concordaram em limitar o aumento da temperatura média global a 1,5 graus Celsius acima dos níveis pré-industriais para reduzir os riscos e impactos das mudanças climáticas.

De acordo com o diretor do C3S, Carlo Buontempo, as temperaturas recordes no último ano apontam para uma “grande e contínua mudança em nosso clima”. “Mesmo que essa sequência específica de extremos termine em algum momento, estamos fadados a ver novos recordes sendo quebrados à medida que o clima continua a esquentar. Isso é inevitável, a menos que paremos de adicionar [greenhouse gases] na atmosfera e nos oceanos”, disse ele em um comunicado.

Os novos números preocupantes também apontam que 2024 poderá superar 2023 como o ano ano mais quente de todos os tempos registrado, disse uma reportagem da agência de notícias Reuters.

De acordo com Zeke Hausfather, cientista pesquisador da organização sem fins lucrativos Berkeley Earth, dos EUA, há aproximadamente 95% de chance de que 2024 supere 2023 e seja o ano mais quente desde que os registros da temperatura da superfície global começaram em meados de 1800.

As altas temperaturas em todo o globo trouxeram consigo consequências devastadoras. Mais de 1.300 pessoas morreram durante o Hajj este ano, disse a Arábia Saudita.

A Índia relatou mais de 40.000 casos suspeitos de insolação e mais de 100 mortes relacionadas ao calor durante a implacável e contínua onda de calor. De acordo com o Centre for Holistic Development, uma organização não governamental, até 192 mortes de moradores de rua foram relatadas em Delhi entre 11 e 19 de junho.



Source

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button